NEW HORIZONS EXPLORA COM SUCESSO O ULTIMA THULE

new-horizons-ultima-thule-mu69-flyby-1546292568420-facebookJumbo-v3

A espaçonave New Horizons da NASA sobrevoou Ultima Thule nas primeiras horas do dia de Ano Novo, inaugurando a era da exploração do enigmático Cinturão de Kuiper, uma região de objetos primordiais que detém a chave para entender as origens do Sistema Solar.

“Parabéns à equipe New Horizons da NASA, ao Laboratório de Física Aplicada Johns Hopkins e ao Southwest Research Institute por fazer história mais uma vez. Além de ser o primeiro a explorar Plutão, a New Horizons voou pelo objeto mais distante já visitado por uma espaçonave. o primeiro a explorar diretamente um objeto que contém remanescentes do nascimento do nosso sistema solar “, disse o administrador da Nasa, Jim Bridenstine. “É disso que se trata a liderança na exploração espacial.”

Sinais confirmando que a espaçonave está saudável e encheu seus gravadores digitais com dados científicos no Ultima Thule chegou ao centro de operações da missão no Laboratório de Física Aplicada Johns Hopkins (APL) hoje 01 de Janeiro de 2019 às 13h29min horário de Brasília, quase exatamente 10 horas depois da aproximação mais próxima da New Horizons ao objeto.

À esquerda, há uma composição de duas imagens tiradas pelo Imageador de Reconhecimento de Longo Alcance (LORRI) de alta resolução da New Horizons, que fornece a melhor indicação do tamanho e da forma do Ultima Thule até o momento. As medições preliminares deste objeto do Cinturão de Kuiper sugerem que ele tem aproximadamente 32 quilômetros de comprimento por 16 quilômetros de largura. A impressão de um artista à direita ilustra uma possível aparência do Ultima Thule, com base na imagem real à esquerda. A direção do eixo de giro de Ultima é indicada pelas setas. 
Créditos: NASA / JHUAPL / SwRI; esboço cortesia de James Tuttle Keane

 

“A New Horizons se comportou como planejado hoje, conduzindo a maior exploração de qualquer mundo na história – 4 bilhões de milhas do Sol”, disse o pesquisador principal Alan Stern, do Southwest Research Institute em Boulder, Colorado. “Os dados que temos parecem fantásticos e já estamos aprendendo sobre o Ultima de perto. A partir daqui, os dados ficarão cada vez melhores!”

Imagens tiradas durante a aproximação da espaçonave – que levou a New Horizons para apenas 3.500 quilômetros de Ultima – revelaram que o objeto do Cinturão de Kuiper pode ter uma forma similar a um pino de boliche, girando de ponta a ponta, com dimensões de aproximadamente 32 por 16 quilômetros. Outra possibilidade é que Ultima pode ser dois objetos orbitando um ao outro. Os dados do Flyby já solucionaram um dos mistérios de Ultima, mostrando que o objeto do Cinturão de Kuiper está girando como uma hélice com o eixo apontando aproximadamente para o New Horizons. Isso explica porque, em imagens anteriores tiradas antes de Ultima ser resolvido, seu brilho não parecia variar à medida que girava. A equipe ainda não determinou o período de rotação.

Quando os dados científicos começaram seu retorno inicial à Terra, os membros da equipe de missão e a liderança revelaram-se na excitação da primeira exploração dessa região distante do espaço.

“A New Horizons ocupa um lugar querido em nossos corações como um intrépido e persistente explorador, bem como um grande fotógrafo”, disse o diretor do Laboratório de Física Aplicada Johns Hopkins, Ralph Semmel. “Esse sobrevoo marca a primeira vez para todos nós – APL, NASA, a nação e o mundo – e é um grande crédito para a ousada equipe de cientistas e engenheiros que nos trouxe até este ponto.”

 

Esta sequência de três imagens, recebida em 31 de dezembro de 2018, e tirada pela câmera LORRI a bordo do New Horizons, ilustra a rotação do Ultima Thule. 
Créditos: NASA / JHUAPL / SwRI

 

“Alcançar o Ultima Thule a partir de 4 bilhões de milhas é uma conquista incrível. Esta é a melhor exploração”, disse Adam L. Hamilton, presidente e CEO do Southwest Research Institute em San Antonio. “Parabéns à equipe de ciências e aos parceiros de missão por iniciar os livros didáticos sobre Plutão e Cinturão de Kuiper. Estamos ansiosos para ver o próximo capítulo.”

A espaçonave New Horizons continuará a baixar imagens e outros dados nos próximos dias e meses, completando o retorno de todos os dados científicos nos próximos 20 meses. 

Quando a New Horizons foi lançada em janeiro de 2006, George W. Bush estava na Casa Branca, o Twitter acabara de ser lançado e a Personalidade do Ano da revista Time era “você – todos os usuários da web em todo o mundo”. 

Nove anos em sua jornada, a espaçonave começou sua exploração do cinturão de Kuiper com uma passagem aérea de Plutão e seus satélites. Quase 13 anos após o lançamento, a espaçonave continuará sua exploração do Cinturão de Kuiper até pelo menos 2021. Os membros da equipe planejam propor mais exploração do Cinturão de Kuiper.

Fonte: http://pluto.jhuapl.edu/News-Center/News-Article.php?page=20190101

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s