EQUIPE ESTÁ CONFIANTE DA RECUPERAÇÃO DO ROVER CURIOSITY DA NASA

O Mars Rover Curiosity da NASA tirou esse autorretrato em 15 de junho de 2018, durante uma crescente tempestade de poeira. 
Crédito: NASA / JPL-Caltech

Ainda não se sabe exatamente o que está debilitando o rover Curiosity, da NASA , mas os membros da equipe da missão estão otimistas de que eles possam colocar o robô em operação novamente.

Desde a noite de sábado passado (15 de setembro de 2018), Curiosity teve problemas para transmitir à Terra certos dados científicos e de engenharia armazenados em sua memória. Curiosity está afastado de todas as operações científicas enquanto a equipe da missão investiga o problema.

O problema está relacionado ao sistema de arquivos interno do rover. Algo está impedindo o rover de acessar os locais onde os dados afetados estão armazenados, disse o vice-gerente de projeto da Curiosity, Steve Lee, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia.

“A equipe está reduzindo metodicamente as possíveis causas, mas ainda não determinou se é relacionada a hardware ou software”, disse Lee.

A boa notícia é que Curiosity permanece estável, saudável e respondendo. Ele ainda envia dados de engenharia em tempo real para casa (o que é muito útil para as pessoas que tentam diagnosticar o problema). Portanto, esta não é uma situação de tempo crítico, como o problema de computador que surgiu cerca de 200 dias marcianos (ou “sols”) após o pouso da Curiosity em agosto de 2012 no Planeta Vermelho, Lee disse.

“Durante a anomalia do Sol 200 , o rover não estava respondendo aos comandos, nem estava dormindo para recarregar a bateria”, disse ele.

Esse problema anterior, ele acrescentou, foi atribuído a uma combinação de dois problemas: uma falha parcial de hardware de memória no computador principal do Curiosity, conhecido como o lado A, e um bug de software.

A equipe de missão acabou trocando o rover por seu computador idêntico de backup (lado B), que roda o Curiosity até hoje. Engenheiros depois corrigiram o bug do software, e a equipe restringiu o uso da memória do lado A para a quantidade que ainda está disponível, disse Lee.

Então, enquanto o problema atual é “tecnicamente muito complexo”, a equipe está longe de ser desencorajada. O Curiosity se recuperou de contratempos aparentemente mais sérios, e os engenheiros têm várias opções à sua disposição para lidar com a atual.

“A equipe está confiante de que encontrará uma solução para permitir que o Curiosity retorne às operações científicas normais”, disse Lee.

“Se o problema está relacionado ao hardware de memória, pode ser possível contornar qualquer parte dos bancos de memória que não estejam mais em funcionamento”, disse ele. “Se é um bug de software, uma correção pode ser planejada para atualizar o software de voo a bordo do Curiosity. E, em última análise, há um computador de backup disponível, embora com menos memória disponível devido à anomalia do Sol 200.”

Durante seus mais de seis anos em Marte, Curiosity encontrou muitas evidências de que o Planeta Vermelho poderia ter apoiado a vida microbiana no passado antigo. Por exemplo, as observações do rover ajudaram os cientistas a determinar que o local de pouso do Curiosity, o piso da cratera Gale, com 154 quilômetros de largura, abrigou bilhões de anos atrás em um sistema de longa duração.

Desde setembro de 2014, o Curiosity explora o sopé do Monte Sharp, que se eleva a 5,5 km do centro de Gale. O rover está estudando as camadas rochosas, buscando pistas sobre a transição de Marte para um planeta relativamente quente e úmido, para o planeta frio e seco que é hoje.

Fonte: https://www.space.com/41905-curiosity-mars-rover-computer-glitch.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s